1. Home
  2. Notícias

Vacina contra febre amarela deve ser feita dez dias antes da viagem

Vacina contra febre amarela deve ser feita dez dias antes da viagem
Vacina é o principal meio de controle da febre amarela - Foto: Agência Brasil/Reprodução

H2FOZ - Paulo Bogler

O Ministério da Saúde orienta a população sobre a exigência da vacina contra a febre amarela durante viagens.  O órgão adverte que as pessoas que nunca foram vacinadas contra a doença devem aplicá-la até dez dias antes de viajar para as localidades brasileiras que recomendam a imunização.

Nas viagens internacionais é necessário verificar se o país de destino cobra o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), exigido em mais de 100 nações. O certificado é concedido a pessoas que comprovem que viajarão ou farão conexão nos países que requerem o CIVP. A lista desses países é divulgada pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

As pessoas que necessitam do CIVP devem procurar os postos de vacinação e apresentar o comprovante da viagem marcada para vacinar-se contra a febre amarela e dar início ao processo de emissão do certificado. Para adiantar o pedido, o interessado pode fazer um pré-cadastro no endereço http://www.anvisa.gov.br/viajante, clicando na opção “cadastrar novo” ou no link “cadastro”.

“Já o viajante que mora em área sem recomendação e vai viajar para área também sem recomendação, não precisa se vacinar”, diz o informativo do Ministério da Saúde. “Contudo, é fundamental que todos os brasileiros mantenham as vacinas atualizadas, de acordo com os calendários de vacinação do Programa Nacional de Imunizações”, alerta.


Surgimento de casos da doença em alguns estados colocou o país em alerta - foto Agência Brasil 

Em seu blog, o órgão federal apresenta lista de municípios com recomendação ou recomendação temporária da vacina para febre amarela. Também oferece link para a consulta dos países que exigem o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP).

Paraguai exige certificado

Na semana passada, autoridades em saúde do Paraguai anunciaram que o setor de migração passará a exigir a vacina preventiva da febre amarela para pessoas de nacionalidade paraguaia e estrangeiros que entrem ou saiam do país. A comprovação será por meio do certificado internacional de vacinação.

Conforme o comunicado do Ministério de Saúde Pública e Bem-estar Social do Paraguai, o certificado será exigido a partir de 1° de fevereiro e a vacina deverá ser realizada com pelo menos dez dias de antecedência da viagem. Primeiro, a medida deverá ser aplicada a viajantes que tenham como destino ou como origem os estados brasileiros considerados área de risco para proliferação da febre amarela.

Paraná e Foz sem casos

Conforme a Secretaria Estadual de Saúde, o último caso de febre amarela autóctone confirmado no Paraná foi em 2008. Foz do Iguaçu nunca registrou casos da doença, mas é área de recomendação da vacina devido à localização. As unidades básicas do município dispõem da imunização gratuitamente e a população pode verificar os horários das salas de vacina no portal da saúde: www.saudefoz.com.br.

A vacinação é a medida de controle mais eficiente contra a febre amarela. Uma dose da vacina (não fracionada) garante a imunidade por toda a vida. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, a vacina é aplicada em crianças a partir de 9 meses de idade até adultos com 59 anos. Pessoas com mais de 60 anos precisam de indicação médica para a imunização.