1. Home
  2. Notícias

Unila deve ser projeto de Estado e não de governo, diz novo reitor

Unila deve ser projeto de Estado e não de governo, diz novo reitor
Novo reitor atua na área do Direito Internacional - Foto: Divulgação

A UNILA tem  um novo reitor pro tempore: o professor Gustavo Oliveira Vieira, docente do quadro próprio da Instituição. Vieira é formado em Direito e possui mestrado e doutorado na área, com ênfase em Direito Internacional, atuando principalmente com os temas Direitos Humanos e Direito Internacional Humanitário. Ele ingressou no quadro de docentes da Universidade em 2014, no Instituto Latino-Americano de Economia, Sociedade e Política (ILAESP). Antes da UNILA, foi professor da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), onde também atuou na gestão, na área de Relações Internacionais.

Na UNILA, Vieira é coordenador do Grupo de Estudos para a Paz e da Cátedra de Estudos para a Paz, realizada pelo Instituto Mercosul de Estudos Avançados (IMEA), com o objetivo de promover a discussão da temática da construção da paz e transformação dos conflitos internacionais, além de pautar os estudos para a paz nas pesquisas sobre América Latina. É, também, autor e organizador de alguns livros e artigos relacionados a Direitos Humanos, Constitucionalismo e Desarmamento Humanitário. Em 2016, na Feira do Livro de Foz do Iguaçu, lançou o livro “A formação do estado democrático de direito: o constitucionalismo na emergência da sociedade civil”.

Esta é a terceira mudança na Reitoria em sete anos de atividades. Vieira substitui os professores Josué Modesto dos Passos Subrinho, que deixou a Reitoria em janeiro, e Nielsen de Paula Pires, que era vice-reitor desde 2013 e estava à frente da Instituição nos últimos quatro meses.

Futuro

“O desafio da UNILA, a nosso ver, é conciliar uma instituição federal, genuinamente latino-americana, de grande visibilidade, nacional e internacional, com resultados condizentes, com estrutura física que viabilize sua autonomia e capacidade de realização compatível com as expectativas até hoje criadas”, diz o novo reitor. “O potencial da UNILA pode ser bem mais valorizado e explorado tanto pelo MEC quanto pelo Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Saúde, entre outros, à medida que se ajustem a condição local e a nossa conexão com o município de Foz do Iguaçu e região trinacional”, completa.

Segundo Gustavo Vieira, o espaço que a UNILA ocupa e o modelo referencial da Universidade devem ser vistos como projetos de Estado e não como de governo. Além disso, é preciso conectar melhor a UNILA à Foz do Iguaçu, tanto à prefeitura quanto à comunidade, criando novos vínculos com a cidade. Nesse contexto, segundo Vieira, Foz do Iguaçu tem muito que se beneficiar com a diversidade que a UNILA tem a oferecer, expandindo também para o Brasil e toda a América Latina.

Posse

O novo reitor afirma a intenção de trabalhar no fortalecimento institucional e na consolidação do projeto UNILA, apoiado na valorização e no apoio internacional em relação à Instituição. “Temos a grande responsabilidade de conduzir um quadro de cerca de 900 servidores, entre docentes e técnico-administrativos, de alta competência; e aumentar o número de estudantes, de todas as regiões. Teremos assim uma UNILA diversa, bilíngue, multicultural, de vocação latino-americanista, com compromisso social e com qualidade acadêmica. Assumimos esse compromisso e compartilhamos dessa utopia”, disse ao professor Nielsen, no momento de passagem do cargo, nesta terça-feira (13).

No âmbito interno, Vieira reforçou sobre a construção de um ambiente de bem-estar na Nnstituição e sobre a promoção de um bom acolhimento aos estudantes. Na próxima semana, o novo reitor irá fazer reuniões amplas com cada uma das categorias: estudantes, docentes e técnico-administrativos, para apresentar-se à comunidade acadêmica. Em seguida, pretende dialogar com todas as representações do município.

Na pequena cerimônia que ocorreu no gabinete da Reitoria, o professor Nielsen reiterou que a UNILA está em boas mãos, que acredita na boa escolha do professor Gustavo para assumir esse importante desafio de integração pelo conhecimento. Seu último discurso direcionado à comunidade acadêmica pode ser acessado aqui.

(Unila)