1. Home
  2. Notícias

Paraná segue sem casos confirmados de febre amarela

Paraná segue sem casos confirmados de febre amarela
Monitoramento abrange período de julho de 2017 a 30 de janeiro de 2018. - Foto: Fundação Fio Cruz

H2FOZ - Paulo Bogler 

Foram atualizados nesta terça-feira, 30, os dados sobre a incidência da febre amarela no Brasil. De acordo com o levantamento do Ministério da Saúde, o Paraná permanece sem registrar nenhum caso da doença. O estudo abrange o período de monitoramento entre 1º de julho de 2017 e 30 de janeiro de 2018.

No semestre, o estado registrou 18 casos notificados da doença, 14 descartados e quatro em investigação. No mesmo período, em todo o país, foram confirmados 213 casos de febre amarela, com 81 mortes. As notificações chegaram a 1.080, 432 casos suspeitos foram descartados e 435 ainda estão sendo investigados.

Conforme a Secretaria de Estado da Saúde, o último registro de febre amarela no Paraná ocorreu em 2008, na cidade de Laranjal, na região central. Mas o órgão ressalta a necessidade de cuidados para as pessoas que moram em áreas de matas, rios e que fazem trilhas, pescas e acampamentos.

A doença é transmitida por determinados mosquitos que vivem no meio silvestre. “É importante informar que o último caso de febre amarela urbana foi registrado no Brasil em 1942, e todos os casos confirmados desde então decorrem do ciclo silvestre de transmissão”, destaca o Ministério da Saúde.

Vacina

Principal meio de combate à febre amarela, a vacina gratuita está disponível nas unidades básicas de saúde de Foz do Iguaçu e nas demais localidade do estado. Ela é indicada para crianças a partir dos 9 meses e adultos com até 59 anos de idade. Às gestantes, mulheres que amamentam, crianças com menos de 9 meses, pessoas com mais de 60 anos ou com alergia grave a ovo ou imunodeprimidos, a Secretaria de Estado da Saúde recomenda a imunização apenas com indicação médica.

Viagem

Quem for viajar para localidades brasileiras com recomendação da vacina precisa fazer a imunização com pelo menos dez dias de antecedência. A orientação vale também para pessoas com destino aos países que exigem o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP). O portal do Ministério da Saúde apresenta a lista das cidades que exigem a vacina e dos países que pedem o certificado.

ATUALIZADO ÀS 15 HORAS

A prefeitura de Curitiba confirmou na tarde desta quarta-feira, 31, o primeiro caso de febre amarela na cidade e no Paraná. De acordo com a Secretaria de Saúde do  município, o caso é importado de São Paulo e não há circulação do virus da doença na Capital do Estado. A paciente é uma mulher de 36 anos de idade, que teria jiajado em dezembro para o município paulista de Mariporã.