1. Home
  2. Notícias

Deputado recua e pede retirada do projeto de extinção da Unila

Deputado recua e pede retirada do projeto de extinção da Unila
Comunidade formou um grande movimento em defesa da Unila - Foto: Divulgação

Paulo Bogler - H2FOZ

O deputado federal Sergio Souza (PMDB-PR) pediu a retirada da proposta de sua autoria que prevê a extinção da Unila (Universidade Federal da Integração Latino-Americana) para a criação da UFOPR (Universidade Federal do Oeste do Paraná). O documento foi protocolado junto à mesa diretora da Câmara dos Deputados, nesta terça-feira, 15.

No requerimento, o parlamentar não informa os motivos que o levaram a pedir a supressão da proposta, mas diz que sua Emenda 55 à Medida Provisória 785/2017 trata somente de financiamento estudantil. “Nenhum dos pontos constantes abordam direta ou indiretamente a modificação ou criação de instituição de ensino superior”, expõe Sergio Souza.

Na segunda-feira, 14, a Unila havia informado que o reitor Gustavo Vieira comunicou-se diretamente com o deputado federal Sérgio Souza naquele dia, em Curitiba, a partir de mediação realizada pela direção da Itaipu Binacional. “Como resultado, ambos [Vieira e Souza] combinaram que, amanhã (15), fecharão o acordo da retirada da emenda formalmente em Brasília, no gabinete do deputado”, informou a universidade em nota.

Em julho, Sergio Souza surpreendeu toda a comunidade da Região Oeste ao tornar público seu projeto de extinguir a Unila e criar uma nova instituição, sugerindo agregar a ela dois campi da UFPR (Universidade Federal do Paraná). O projeto não chegou a ser debatido nem mesmo com as direções das duas universidades afetadas pela proposta e despertou a mobilização de vários setores.


Requerimento do deputado Sergio Souza

Mobilização

A ampla campanha em reação à proposição de Sergio Souza e em defesa do projeto fundador da Unila reúne instituições de ensino, entidades empresariais, órgãos públicos, movimentos sociais, sindicatos e conselhos de políticas públicas. A mobilização extrapolou a região e tornou-se nacional, além de incluir manifestações vindas de diversos países da América Latina.

As iniciativas contrárias ao projeto do deputado peemedebista envolvem notas públicas, atos, audiências e assembleias. A comunidade acadêmica formou o movimento “Unila Resiste”, com atividades permanentes de professores, estudantes e técnicos. Docentes e alunos Unila fazem greve de uma semana. Na internet, uma petição pública em favor da Unila conta com quase 16 mil adesões.


Comunidade acadêmica criou o movimento "Unila Resiste" - foto Divulgação

Audiência na Câmara de Vereadores

O movimento “Unila Resiste” informou que está mantida a audiência pública na Câmara de Vereadores, nesta quinta-feira, 17, às 19 horas. O encontro integra a agenda de atividades em defesa da universidade. Estão previstas também passeata e vigília com apresentações culturais em frente à Câmara de Vereadores, durante a realização da audiência.

O coletivo expressou preocupação com o atual momento político nacional e que por isso decidiu manter todas as atividades. “Deliberamos e decidimos prosseguir na luta, mesmo tendo recebido a informação – veiculada por diferentes fontes – de que o deputado Sérgio Sousa (PMDB/PR) irá retirar a emenda aditiva 55 à MP 785, a maior ameaça sofrida por nossa universidade até o presente”, ressalta o comunicado do movimento.