1. Home
  2. Notícias

Cansados de esperar, moradores pintam faixa de pedestres no Morumbi

Cansados de esperar, moradores pintam faixa de pedestres no Morumbi

H2FOZ - Vacy Alvaro

“A prefeitura não pinta, nós pintamos”. Foi acompanhada desta frase que o comerciante Marcos Queiroz publicou fotos e vídeos de uma ação diferente promovida na noite de quarta-feira (8) na região do Morumbi. Por lá, ele e outros moradores, cansados de esperar pelo poder público, resolveram agir e pintar por conta própria uma faixa de pedestres na Rua Palestra Itália.

No trecho localizado em perímetro escolar (próximo ao Centro Vicentino Nossa Senhora da Conceição) é comum a ocorrência de acidentes, sobretudo em horários de pico. “Juntamos um grupo de amigos e R$ 200 para comprar a tinta”, comenta Queiroz. De acordo com o comerciante, o serviço já era aguardado pela população havia cerca de um ano. 

Rapidamente a postagem do comerciante ganhou repercussão e mensagens de apoio. Até as 20 horas dessa quinta-feira (9) já eram mais de 250 compartilhamentos. Outras ruas do bairro passam pela mesma situação segundo Marcos.

Andradina

Quando se fala em problemas de infraestrutura, os moradores e motoristas que transitam pela Avenida Andradina, na região Norte da cidade, têm autoridade para falar sobre o assunto. Na via constantemente são registrados acidentes. Em setembro, uma menina de apenas seis anos sofreu traumatismo crânio encefálico (TCE) ao ser atropelada e ficou quase um mês internada.

A preocupação com a situação é tanta que um grupo resolveu criar um abaixo-assinado para ser entregue à Prefeitura Municipal. No documento, entre as exigências estão melhorias na demarcação e sinalização na pista, além da implantação de redutores de velocidade.

Soma-se aos problemas de trânsito a precariedade na limpeza e manutenção da avenida e seus arredores. O temor é que isso aumente a propagação de endemias como a dengue. O abaixo-assinado está disponível no endereço https://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/37682#inicio

Campeã de acidentes

E a reivindicação não é a toa. De acordo com dados divulgados pelo Pelotão de Trânsito do 14º Batalhão de Polícia Militar nesta quinta-feira (9), o cruzamento entre as avenidas Andradina e Tarquínio Santos foi o “campeão” de ocorrências de acidente em 2017. Entre janeiro e outubro, o local registrou seis acidentes. O segundo ponto mais crítico é entre as Avenidas João Paulo e Avenida Costa e Silva, com cinco acidentes registrados.

Entre as vias, a mais violenta para o trânsito é a República Argentina, com 54 acidentes, seguida pela Avenida Paraná, com 33, e a Avenida Juscelino Kubitschek, com 25 ocorrências. 

A busca pela solução

 De acordo com matéria publicada em 26 de outubro no site da Prefeitura de Foz do Iguaçu, nesta segunda quinzena de novembro serão realizados os serviços de pintura de faixa, quente (termoplástica) e frio, e instalação de tachões e placas de sinalização. A Avenida Andradina aparece na primeira etapa do projeto de sinalização ao lado das avenidas República Argentina, Paraná, General Meira, Tarquínio Joslin dos Santos, além das escolas municipais, Cmeis e os principais cruzamentos.

Em setembro, para a reportagem do jornal Gazeta Diário, o diretor do Instituto de Trânsito de Foz do Iguaçu (Foztrans) Fernando Maranchini alegou que o município não possui (ou possuía) verbas para uma melhoria completa da Avenida Andradina, mas que pequenos reparos seriam feitos rapidamente.

“A população pode esperar a colocação de dois semáforos, um entre a avenida Andradina e a Florianópolis e outro com a avenida Maceió (...)( A gente sabe que existe urgência e seria necessário pintar toda a via, mas no momento, frente as dificuldades financeiras, não será possível”, disse. Na ocasião, a promessa foi de que os semáforos seriam instalados até novembro. 

Durante o primeiro semestre do governo de Chico Brasileiro, o Foztrans comunicou ter concentrado esforços em melhorar o sistema viário da cidade. De maio a outubro foram instaladas 310 novas placas de sinalização; 11 endireitamento de placas; 55 substituição de placas; 180 ações de pinturas horizontal; além de outros serviços de manutenção e prevenção a acidentes.