1. Home
  2. Notícias

Bandeira verde segue no primeiro trimestre, diz ministro de Minas e Energia

Bandeira verde segue no primeiro trimestre, diz ministro de Minas e Energia
Foi a primeira viagem do ministro à binacional - Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional

O volume de chuvas acima da média desde o fim do ano passado deve fazer com que as tarifas de energia elétrica não subam para o consumidor brasileiro, pelo menos até o primeiro trimestre de 2018. A afirmação foi dada pelo do ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho, nesta terça-feira (16), durante visita à usina hidrelétrica de Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR).

Segundo o ministro, as precipitações têm permitido a recuperação dos reservatórios das principais usinas hidrelétricas, o que fez a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sinalizar que o regime de bandeiras tarifárias permanecerá verde (sem custo adicional) nos três primeiros meses do ano. As tarifas ficam mais caras (bandeiras amarela ou vermelha 1 e 2) quando falta chuva e as usinas térmicas são acionadas para atender a demanda.


Ministro destacou papel da Itaipu para matriz mais barata de energia - foto Alexandre Marchetti 

“O sistema [elétrico nacional] é interligado e a gente veio de cinco ou seis anos de chuvas abaixo da média nos maiores reservatórios. Mas os resultados de novembro, dezembro e dos primeiros dias de janeiro [de 2018] têm sido muito animadores”, avaliou.

O ministro também destacou o “papel fundamental de Itaipu para que a gente tenha uma matriz mais barata para o setor elétrico”. “O que eu tenho dito desde o ano passado é que nós não temos risco de abastecimento e reafirmo isso hoje”, completou.

Acordo de cooperação

Coelho Filho esteve na Itaipu para uma série de compromissos, entre eles, a inauguração oficial do Centro de Inovação em Mobilidade Elétrica (CI-MES) e a assinatura de um acordo de cooperação, entre Itaipu e Ministério do Meio Ambiente, para a implantação do Programa de Mobilidade Sustentável nos Ministérios.

O programa é uma das estratégias do País para atender ao compromisso assumido na 21ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima (COP-21), em Paris, de reduzir as emissões em 37%, para até 2025, e de 43% até 2030.

O programa será coordenado pelo MME e terá suporte técnico de Itaipu. Pelo menos dez veículos elétricos da binacional serão cedidos para uso nos ministérios. Hoje, apenas o MME conta com um modelo elétrico de Itaipu. “O meu carro oficial em Brasília é um veículo elétrico de Itaipu”, enfatizou o ministro.


Ministro inaugurou Centro de Inovação em Mobilidade Elétrica - foto Alexandre Marchetti

Pela manhã, Coelho Filho também participou de uma visita técnica à Itaipu (a primeira desde que assumiu o cargo) e conheceu a Unidade de Demonstração de Biogás e Biometano, administrada pelo Centro Internacional de Energias Renováveis – Biogás (CIBiogás).

Acompanhado do diretor-geral brasileiro de Itaipu, Luiz Fernando Leone Vianna, o ministro também fez um sobrevoo à faixa de proteção ao Lago de Itaipu e conheceu alguns dos projetos socioambientais desenvolvidos pela binacional na região Oeste do Estado.

O ministro ainda assistiu a uma apresentação sobre o projeto Green Silicon (Silício Verde), parceria de Itaipu, Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). O objetivo é viabilizar a instalação de uma cadeia de produção de painéis fotovoltaicos na região de fronteira (Brasil e Paraguai), aproveitando a disponibilidade de energia e matéria-prima.

“Nós já temos boa parte da nossa matriz com fontes renováveis e devemos continuar assim. Vamos fazer o crescimento da nossa matriz lastreado nas energias renováveis”, afirmou o ministro.

(Itaipu Binacional)