1. Home
  2. Compras Paraguai e Argentina

Compras Paraguai e Argentina

Sair de Foz do Iguaçu sem fazer compras na Tríplice Fronteira é como ir ao Rio de Janeiro e não ver o mar. O comércio diversificado da região atrai compradores do Brasil inteiro, gente seduzida por preços tentadores e lançamentos ainda inéditos no País. Para se ter uma idéia, o centro comercial de Ciudad del Este, já chegou a ser o segundo maior do mundo em negócios nos anos 90, com milhares de lojas no Paraguai.

Destino secundário da região, mas não menos interessante, é a pacata cidade argentina de Puerto Iguazú, que abriga um comércio familiar que aspirava prosperidade até a crise cambial que levou a Argentina à bancarrota. Atualmente, a recuperação da economia local é visível, fazendo da cidade um bom lugar de compras para quem busca vinhos e roupas. Para chegar lá, é necessário aprensetar a carteira de identidade ou passaporte na aduana.

Hoje, porém, algumas coisas mudaram na região. A começar pela cota de importação estipulada pela Receita Federal, de 300 dólares por pessoa, que afastou parte dos chamados sacoleiros. Quem gasta acima disso tem de recolher impostos sobre o valor excedente. Entretanto, fazer compras na fronteira continua sendo um ótimo negócio, desde que seguidos alguns conselhos importantes.

Por exemplo, todo cuidado é pouco com os camelôs. Embora atraentes pelos preços módicos, os ambulantes costumam vender produtos falsificados. As grandes lojas de departamento e shoppings tradicionais cobram um pouco mais caro, mas trabalham com mercadorias originais que chegam às prateleiras como verdadeiras pechinchas graças aos baixos impostos cobrados pelo governo paraguaio.

Outra dica é sempre levar dólares para fazer compras fora do Brasil, pois os preços dos artigos importados são geralmente fixados com base na moeda norte-americana. Além disso, as casas de câmbio dos países vizinhos praticam cotações desvantajosas e o risco de trocar dinheiro na rua, com cambistas, é altíssimo. Já os cartões de crédito andam em desuso. Poucas lojas os aceitam, e, nestes casos, cobram taxas consideráveis, por causa da transação internacional.

Loja escolhida e dinheiro na mão, mais uma precaução a ser observada é testar o produto escolhido antes de fechar negócio. Afinal, uma eventual troca é praticamente impossível para quem mora longe de Foz. E, ao se certificar do funcionamento da mercadoria, esteja atento se o vendedor embala e lhe entrega o mesmo artigo selecionado ou algum similar não testado.

© Portal H2FOZ - Todos os direitos reservados